quarta-feira, 25 de junho de 2008

não, não te quero mais

eu só precisava ser surpreendida por você.

não sei porque, já que você nunca disse que faria isto, não me deu garantia nenhuma, nada. você nunca disse que me queria, mas eu sempre fiz questão de ouvir nas suas entrelinhas.

mas aí a gente se beija e eu aí quero me perder entre seus lábios para sempre. e por isso sigo acreditando na gente ser uma possibilidade. pode ser teimosia, certamente é burrice.

outro dia me peguei pensando que não sabia qual sua cor preferida. e é triste e muito estranho concluir isto depois de tanto tempo. uma coisinha tão pequena, mas que naquele dia me doeu. tanta história vivida e tão pouco envolvimento. uma história que ficou sem coragem de se desenvolver.

escrevo então pra te dizer que estou cansada. que já não sei se sou apaixonada por você ou pela história que eu inventei pra mim mesma porque queria viver uma puta história de amor. estou cansada de ficar imaginando este lindo caminho pela frente sozinha. queria você no meu dia-a-dia. queria mais. queria conhecer sua vida, fazer parte dela. queria viver uma história. acredito nela. penso nela. penso em acordarmos juntos num domingo de sol e passarmos o dia cozinhando, lendo o jornal, rindo. descobrindo juntos quais os vinhos mais incríveis, perdendo horas e horas no fundo dos teus olhos pra entender o que é afinal este mistério que você tanto guarda neles.

e de tanto te querer, descobri que não te quero mais. que pra preservar este amor é preciso praticar um quase não-amor. sinto muito, mas não quero mais com a cabeça bem tranquila de quem sabe que fez o que podia. agora chega.

passar bem.
Isabella

::

simples assim.


Nenhum comentário: