segunda-feira, 27 de julho de 2009

em casa de vó é sempre domingo*


eu até que gostava da minha avó.

é que minha avó nunca foi uma avó daquelas tradicionais, de coque e de bolo, que enchia a cozinha com a sua alegria e a sala com o seu abraço. eu não tive narizinho arrebitado e, talvez por isso, nunca tenha sido a neta da Dona Benta.

lembro que minha avó era animada e gostava de cantar. era briguenta. amorosa, do jeito dela. eu tinha uma avó de sangue quente.

eu até gostava da minha avó. é que meu avô era meu xodó. eu sempre fui a neta preferida e meu avô sempre foi meu superhomem que aparecia num piscar de olhos. sempre.

que mais fácil era a vida com ele na minha retaguarda. que feliz eu sou por tê-lo tido. e eu o levo, sempre e para sempre, dentro de mim.

por isso, ontem, no dia da avó, me peguei um pouco triste por não ter dito à minha avó que eu a amava e que feliz eu era por ser sua neta. na verdade, sempre esperei pelos seus laços de fita e talvez tenha me faltado explicar isso a ela. eu era uma menina, a preferida, e acho que estávamos lutando pelo amor do mesmo homem. era minha rival, mas era a minha avó.

eu até gostava da minha avó. ela era engraçada. mas nunca tive isso de casa de vó. a frase da ponta da língua sempre foi: "mãe, quero ir pra casa do meu avô". acho que sempre precisei mais de um superherói do que de um bolo de fubá.





*livro clássico da infância 80´s, do qual tive a alegria de conhecer a autora, marina, avó de um grande amigo meu.

3 comentários:

Ciana Lago disse...

muito lindo, lu!

Fernanda Neder Martinez disse...

a minha avó é a mais legal do mundo! ela é zero vovozinha. é louca e lúdica, no melhor dos sentidos! com ela eu comecei a fazer teatro, aprendi a contar histórias e a tomar mate (que eu achava que era uma bebida muito CHIQUE)! juntas somos capazes de devorar um pote de sorvete... AMO DEMAIS DA CONTA!!!!

Luisa disse...

ai a gente se apega, assim, meio sem querer, nas avós dos outros. e toma pra gente.
pode?