sexta-feira, 30 de outubro de 2009

céu de brigadeiro e gelatto


acordamos hoje às 7h30 com um um amigo oriental trancado no banheiro e blasfemando algo incompreensível na sua lingua natal. os caras têm a tecnologia mais foda do mundo, mas não conseguem se entender com tecnologias sofisticadas tipo... chave. amigos orientais tão PEDINDO pra eu fazer um post implicante. eles vão ter o que merecem.


óbvio que não consegui mais dormir. nem tentei. ficamos papeando um pouco (só de sacanagem, resolvemos acordar o quarto inteiro, então) e logo descemos pro café.


já conhecemos algumas pessoas, em sua maioria brasileiros. uma russa com cara de nuncadormiforadecasaporquemeupainãodeixa ficou abismada de nós realmente MORARMOS no Brasil. chocada. acho que ela achou que a gente tava zoando, afinal quem mora no Brasil é tucano e macaco, e saiu da mesa.


logo depois vem a tia da limpeza: YOU HAVE TO GO I HAVE TO CLEAN!!!!! (capslock porque el de fato gritou isso). a gente saiu, então, rindo da vida.


o dia estava lindo, com um céu azul espetacular. após umas andanças, resolvemos nos separar porque os objetivos do dia eram muito diferentes. viajar é isso, conciliar (ou não) expectativas. eu já conheci tudo que é principal em Roma então estou realmente querendo desenvolver um segundo olhar, ir a lugares não específicos, parar, pensar, andar sem rumo, me deparar com as coisas. eles foram pro Coliseu etc.


peguei então um caminho totalmente alternativo que acabou se mostrando a parte chique de Roma. meu objetivo era ir pra Villa Borghese, e assim foi. e adorei. é a parte verde da cidade, uma coisa meio Central Park, lindo. em alguns momentos parecia meio deserto demais e isso deixava a sulamericana aqui meio ressabiada, mas era só andar até as vias principais que tava ótimo.


desci até a Piazza del Poppolo, que tinha esquecido de ir da outra vez. sentei pra ouvir uma música e constatei que meu iPod travou. porra. ok. fui andando por ali pela chiqueza romana e pensando na vida. andei a beça, aliás, meus pés estão explodindo de dor.


eu tinha marcado com Uirá e Michelle na Piazza Navona as 4h, na porta da embaixada do Brasil. tava meio cedo e eu me dei conta de que um dos lugares que eu mais queria, o Campo del Fiori, ir era ali do lado. me mandei pra lá e resolvi tomar um gelatto que parecia o mais bonito da história: Blue Ice, na Via del Baullari. meu deus. de comer rezando. e fiquei caminhando por ali, sozinha, feliz da vida, como se não houvesse amanhã.


fui ao ponto de encontro e os FDP não apareceram. mas nem fiquei puta, porque tinha um mágico artista de rua (que depois se revelou de Floripa) fazendo uma apresentação incrível. como eu estava esperando, vi o show inteiro 3 vezes, o que fez de mim uma expert na arte da magia.


resolvi então voltar pro hotel andando, sozinha, sem pensar em nada, fotografando detalhes. resolvi passar na Termini (estação de trem) pra perguntar informações sobre o passe de trem que eu tinha comprado, mas a moça que trabalhava embaixo da placa INFORMAZIONE disse que eu teria que pegar uma fila de 100 pessoas em véspera de feriado, porque ela não dava informação. perguntei porque tinha ali uma placa escrita INFORMAZIONE, mas nem esperei a resposta. Vim pro albergue. cheguei, vim direto pro quarto e deitei. exausta.


::


ok, eu confesso: eu já me arrependi de ter trazido um mochilão. tô fodida, minhas costas vão ficar destruídas. aliás, vão porra nenhuma. vou comprar uma mala e viva o capitalismo!


::

sim, eu finalmente entendi como incluir muitas fotos no mesmo post pra estar explicando visualmente aquilo que você quer dizer.

é isso. buonasera.

6 comentários:

Marilia disse...

Bem Luana
Legal que está aproveitando e mais legal ainda que com o seu diário de bordo podemos viajar junto com vc...isso é ótimo pq estamos em Roma sem sair do RJ
Muitos bjssssssss
Cuidados com os pés e as costas
Aproveite
Sua tia
Marilia

Marilia disse...

Continue alimentando o diário estou adorando
Bjs
Marilia

MEMÓRIAS CAMINHADAS disse...

Concordo com a Marilia, que bom podermos viajar junto com vcs.
Gosto muito do que vc escreve.
Bjssss
sua tia
Márcia Hortência

Gabriel disse...

AHAHAH belo texto, luana... boa sorte aí!
ps: se você ainda não sacou quem tá falando , é seu primo gabriel

Anônimo disse...

Villa Borghese é tudo.
Foi no Museu??? Tem a maior concentração de Berninis....valeu cada centavinho.
Tá sendo uma viagem ler seu blog. Tô amando...
beijos e se cuida.
Débora Tenca

Marcelinha disse...

hahahahaha Tô me identificando com cada post seu! Tb nunca mais uso mochilão. Idade é uma merda. Compre a mala e seja MUITO feliz!