terça-feira, 6 de outubro de 2009

there was no logic. it was love.


há um tempo atrás lembro de ter falado aqui sobre quais filmes sempre vejo quando passam.

pois eu queria estar mudando a lista.

é sabido que Sex and The City foi inspirada em mim e não importa quando tempo ainda vai passar e se o nome vai mudar pra "old ladies-not so much sex, however-and the city"; vai continuar sendo a minha série queridinha para sempre.

é também sabido, ao menos por mim, que eu sou a Carrie. não tem jeito. tenho um romantismo ainda Charlotte, nada da frieza Mirandística e todas as vezes que resolvi "fazer a Samantha" me arrependi. toda mulher carrega uma Carrie dentro de si. eu sou Candace Bushnell. ser Carrie faz parte de mim - na burrice, na eterna busca, na crendice no amor.

pois estava eu num dos raros momentos em que assisto TV e, zapeando, me deparei justo com a cena do filme em que Carrie debate com sua assistente-gordinha-que-ainda-acreditava-no-amor sobre buscar ou não o tal sapato na penthouse.

o namorado muda, dizendo "ah, já tá no final". eu grito: "não, não: é a melhor cena!". e sinto as lágrimas vindo.

porque eu não pretendo deixar de me emocionar com explosões de amor. Carrie subindo o elevador, abrindo a porta do apê pré-pós-guerra, o segundo de reflexão, a irrupção no closet. ele estava lá. o timing perfeito. a troca de olhares. amor genuíno. ela se joga nos braços daquele que a faz tão bem, aquele que a faz tão mal.

"there was no logic. it was love". quem sabe, sabe.

::

e eu choro TODAS as vezes. ainda bem.

Um comentário:

Sempre Viva! disse...

Não pude deixar de ver ontem.. era dublado, ok, mas não dá para não ver....
"Ever thine
Ever mine
Ever ours"