terça-feira, 3 de novembro de 2009

ardore: o começo de tudo


chegamos a Reggio di Calábria as 8h30 e depois pegamos o trem pra Ardore, onde vamos ficar um tempo. o caminho pra cá foi assustador, por dentro de uma região super árida e cheio de caras com pinta de mafioso no trem. bizarro.

conhecemos um menino de uns 20 anos no trem que falou mal do Berlusconi e disse que 75% das pessoas de Reggio são envolvidas com a mafia de alguma forma. que beleza, e a paisagem lá de fora só piorava. a sensação era: magé – itaboraí – itaipuaçú – maricá. Pânico, terror e aflição. eu só pensava: “deus, permita que a cidade seja um oásis, permita que a cidade seja um oásis, permita que a cidade seja um oásis”.

chegamos. meio assustados, claro, e seriamente considerando a possibilidade de não ficar aqui caso se revele a maior roubada da história, coisa que parecia no trajeto. vai, a cidade é fofa. é minúscula, tipo 1000 habitantes. MIL!!! são pequenos comunes, um do ladinho do outro, tipo 5km entre cada um, todos de frente pro mar. mas é O supermercado, O correio, O banco, tudo no singular.

chegamos ao apê (que é bem fofo, 3 quartos, varanda, cozinha gigante, banheira, pertinho de tudo) e conhecemos 2 meninas brasileiras que estavam fazendo o processo todo da cidadania italiana aqui também: Marcela e Giovanna. foi legal porque pudemos ouvir um pouco as experiências e impressões delas sobre o processo. o saldo foi positivo.

depois resolvemos ir ao supermercado fazer comprinhas e... que delícia é ir ao mercado na Europa. você fica horas e horas pirando nas massas, temperinhos, produtinhos. isso porque estamos em Ardore, uma cidade de 1000 habitantes, no sul da Itália. Deus nos proteja quando chegarmos a Paris, porque vai sr uma orgia gastronômica :)

é isso. até.
buonasera.

Nenhum comentário: