segunda-feira, 26 de abril de 2010

ibitipoca





feriadão delicioso aproveitado ao máximo em um dos paraísos ainda preservados do Brasil: Ibitipoca, MG.

estava há tempos na minha "to do list", e, sei lá porque, nunca tinha conseguido ir. acho que faltava tempo, disposição, companhia. simplesmente priorizei outros lugares. agora, finalmente, fui. e recomendo.

Conceição de Ibitipoca é uma cidadezinha fofolucha que fica a menos de 100 km de Juiz de Fora, MG. a cerca de 270 km do Rio, após passar por dentro de Lima Duarte, MG, a cidade é o ponto de partida pro Parque Estadual de Ibitipoca, o paraíso de onde estamos falando.



na verdade existe a opção de ficar hospedado na cidade, o que é vantagem pra quem tá afim de curtir os bares `a noite, ou acampar DENTRO DO PARQUE, que é um luxo, na verdade. você dorme no sossego, já que só podem ficar 15 barracas por vez (e não aceita reserva). e acorda já ali, naquele paraíso. é só tomar café (tem uma lanchonete ótima, que vende sanduíches, PFs e cerveja), colocar o tênis e passar o dia caminhando.

e bota caminhando nisso: são 3 circuitos principais, de fazer a panturrilha pedir arrego. a paisagem é divina, vale muito a pena, mas... é muito puxado. um sobe e desce bizarro que me fez lembrar daquela asminha leve e chaaaaata que eu teimo em esquecer.



no primeiro dia fizemos logo o mais longo dos percursos, rumo `a cachoeira Janela do Céu. lindo demais. 16 km de ida e volta, com direito a grutas, cachoeiras, mirantes, pausa pra recuperar o folêgo e, claro, a deslumbrante vista no fim do caminho. fim? nada disso. estávamos apenas da metade dele.



no segundo dia, circuito das águas. um dia mais tranquilo, com direito a muitos mergulhos, ainda no sobe e desce. minhas panturrilhas nunca mais serão as mesmas. mas uma delícia, cheio de pausas para reflexão, chamegos, fotos, beijinhos, uma boa leitura, mais mergulho, travessuras (vide foto), mais sobe, mais desce.






o terceiro e penúltimo dia seria talvez o mais puxado: Pico do Pião. fomos curtindo o caminho, passando por cachoeiras e grutas, até que resolvemos deitar e curtir um pouco, deixando o Pico em si para uma próxima. valeu muito a decisão, foi incrível. afinal, "não há caminhos. faz-se o caminho ao andar".


voltamos pra casinha com uma leveza na alma. Oxum levando o peso embora. uma delícia que ficou no coração com um "até logo".

3 comentários:

Vanessa disse...

cool! vou colocar na minha lista de viagens tb.
pena que minhas férias são muito pequenas pra grandeza do mundo.
bjos.

Rodrigo disse...

te digo que li "rua pedra aloprada" na placa.

Michelle Chevrand disse...

eu queroooooooooooooooooooooo!