sexta-feira, 16 de abril de 2010

poesia pra sexta-feira

pra enfeitar o fim de semana. uma poesia que aprendi a amar. como tudo na vida deve ser.


"o que vive
incomoda de vida
o silêncio, o sono, o corpo
que sonhou cortar-se
roupas de nuvens.
o que vive choca,
tem dentes, arestas, é espesso.
o que vive é espesso
como um cão, um homem,
como aquele rio.

como todo o real
é espesso.
aquele rio
é espesso e real.
como uma maçã
é espessa.
como um cachorro
é mais espesso do que uma maçã.
como é mais espesso
o sangue do cachorro
do que o próprio cachorro.
como é mais espesso
um homem
do que o sangue de um cachorro.
como é muito mais espesso
o sangue de um homem
do que o sonho de um homem.

espesso
como uma maçã é espessa.
como uma maçã
é muito mais espessa
se um homem a come
do que se um homem a vê.
como é ainda mais espessa
se a fome a come.
como é ainda muito mais espessa
se não a pode comer
a fome que a vê".

[João Cabral de Mello Neto]

Nenhum comentário: