terça-feira, 15 de junho de 2010

sintra



ainda em Portugal, fomos conhecer Sintra, a 50 min de trem de Lisboa. eu já havia lido sobre a cidade algumas vezes e o que encontrei foi ainda melhor do que esperava.

pegamos o trem no Rossio, estação meio central em Lisboa. 1,70 Euros cada trecho. se você usa o cartao VIVA LISBOA, todo o transporte (trem, metro, bonde) sai ainda mais barato. vale super à pena.

chegamos a Sintra meio cansados e com objetivos bem definidos: queriamos conhecer o Palácio da Pena e a Quinta da Regaleira. Se desse tempo, iríamos a mais lugares. e terminaríamos nosso dia comendo os famosos Travesseiros de Sintra, do mais tradicional ainda restaurante Periquita.

eis que um erro banal quase acaba com o nosso dia: nos julgando jovens, atléticos e cheios de saúde, resolvemos (ideia minha) subir a pé ate o Palácio. quem ja foi, nesse momento, deve estar rindo de mim. quem nao foi imagine caminhar ate a putaqueopariu durante horas, por uma estrada onde não passa vivalma, onde nenhum desgraçado pára pra te oferecer carona, simplesmente porque você, gênio, optou por economizar 2,5 Euros so pra mostrar que é jovem.

tipo... NUNCA MAIS.


chegamos ao topo (sério, era muito alto, tipo subir ate o Corcovado desde Laranjeiras usando sapatos equivocados e, chegando la em cima, descobrir que tinha um ônibus por 5 reais) exaustos, de mau humor, querendo ir embora. mas aí tudo se acalmou. o Palacio da Pena eh muito, muito, muito bonito. residência de verão da Corte portuguesa até décadas atrás, o prédio mistura uma série de estilos no mesmo lugar (arquiteturas árabe, bisantina, indiana, rococó, vitoriana, sei lá mais o que...) e, contrariando todas as expectativas, o resultado fica LINDO!


2 horas e mil fotos depois, criamos coragem e subimos mais um pouco até o Castelo dos Mouros. lindo, vista linda, tudo lindo.


malandros que já somos, pegamos o ônibus pra descer até a cidade e terminamos o dia com os tais deliciosos, imperdíveis, incomparáveis e inesquecíveis Travesseiros de Sintra no Periquita. não sei como explicar. é uma massa folhada, com recheio de amêndoas, ovos, açúcar e muita alegria.


ai, ai. volto ao Brasil direto prum spa. mas bem feliz. como se come bem nessa terra. Jeová!

Nenhum comentário: