sexta-feira, 27 de agosto de 2010

quase indo


recebi hoje da minha amiga querida Fê Neder a dica desse clipe sensacional do Thiago Pethit (esse segundo h eu não entendi muito, mas, enfim...).

poucas vezes vi coisa tão deligada e tão feita pra mim.


deu vontade de ir.

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

e fato: eu sou uma farsa


e pensar que eu até hoje ainda não terminei de escrever sobre a viagem que já acabou faz mais de 1 mês. bem mais, aliás.

fato 1: eu nunca mais viajo sem postar todo dia.
fato 2: eu vou terminar essa série de posts.

esperem que a piada é boa.
quase.


sexta-feira, 20 de agosto de 2010

amor



hoje aconteceu uma coisa tão fofa.

vim de carona pro trabalho com um colegadoserviço. vinha com a cunhada, na verdade, mas ela não quis esperar, então, enfim... viemos só eu e ele. entrei no carro, observei que ele estava completamente diferente da noite anterior (sim, estamos trabalhando demais). camisa social novinha, sapato limpinho, barba recém-feita, banho tomado. arrumadinho, mesmo, nada ornando com aquela proposta mulambenta "eu só trabalho e a minha mulher tá viajando" pra quem dei tchau ontem antes de sair da produtora.

e aí me dei conta de que a mulher dele chegaria de viagem hoje. ri.

"vem cá, essa arrumação toda é pra Gi?"

"pô, lógico! minha mulher chega hoje, tá pensando o que?". e sorriu. feliz que ela chegava.

e aí fiquei pensando que bonitinho era aquilo. como alguns casais conseguem se preservar tão casais, né? tão unidos, tão acesa a chama da paixão, apesar dos problemas, alegrias e tristezas, após anos e anos de casados.

que bom.

:)

terça-feira, 17 de agosto de 2010

pra não perdermos o hábito



ontem foi dia de bruschetta. AMO. nada como o simples e delicioso, não?

estivemos trabalhando basicamente com Margherita X Gorgonzola com Mel. ambos trabalhados no pão Grãos do "Canto do Pão". adoro e recomendo.


segunda-feira, 16 de agosto de 2010

clube de corrida



faz um tempinho que eu estava afim de aprender a correr. ok, ok. todo mundo corre um pouco. mas me incomodava o fato de eu não ter regularidade na respiração, não saber o que exatamente fazer com o braço, qual a melhor pisada... questões práticas, coisa de CDF mesmo.

e aí que há pouco menos de um mês entrei num clube de corrida. eu e Mileshe, a minha cunhada famosa tão querida, que, desde que aceitou morar no Rio, tem sido minha parceira de todas as horas.

eis que resolvemos conhecer a idéia e acabei achando o máximo. o Speed Corrida funciona assim: você se inscreve e os amiguinhos fazem um teste/avaliação física. vocês conversam sobre seus objetivos e em função disso montam a sua planilha de treinamentos. que, no meu caso, tem sido 3 ou 4X por semana. e aí os carinhas ficam ali, tipo um personal trainer de baixo custo; acompanhando, corrigindo a postura, a pisada e o que mais der (tem aula técnica, 2X por semana, e um treino-circuito na areia de vez em quando). e, claro, com direito ainda a um alongamento incrível no final. tudo isso em frente à vista mais bonita do Rio de Janeiro.


estou amando e até já senti alguma melhora na prática. nada como uma boa dose de endorfina na veia pra dar um levante na alma, né? resolvi aprender a correr de verdade pra perder a desculpa de que parei de praticar esportes porque tive que viajar a trabalho. basta um par de tênis e alguma disposição pra gente chegar longe.

se possível, chegar à Maratona New York 2011. será?

e em homenagem à minha parceira de atletismo, fica essa cena, clássica e genial.


uma daquelas bobagenzinhas da internet


hoje descobri essa BOBAGEM que divertiu minha manhã de trabalho.


e aí é aquilo, né? diverte a gente, a gente divide com a colegagem.

pra tá sidivertindo você também: http://www.laphotocabine.com/

domingo, 15 de agosto de 2010

mamãe mandou estudar, foi pro flipper...




sempre me pergunto como seria minha vida se eu tivesse virado diferente numa esquina há tempos atrás. se tivesse tido uma professora de biologia bacana, ou se meus pais fossem pessoas mais rígidas, conservadoras, que tivessem me imposto uma profissão de carreira mais estável. como seria a vida da doutora Luana?

certamente eu não estaria aqui, domingo a noite, um frio de rachar o côco, esperando a boa vontade do cliente pra aprovar o tal do programa. dificilmente algum advogado trabalha domingo à noite. e... tamo aí. por uma causa que não necessariamente é a minha.

às vezes faz sentido, às vezes não. e sigo me perguntando: até quando?

mamãe disse "estude", eu entendi "estúdio". e tamo aí, agora.

esperando.
esperando.
esperando.

mas... e se não for nada disso? e se a curva ainda estiver na próxima esquina?

(...)



quinta-feira, 12 de agosto de 2010

fiz uma amiguinha no Acre



eu nunca conheci ninguém do Acre. na verdade, nunca me foi clara a existência daquele estado outrora comprado da Bolívia. pra mim o Acre não existia muito, tipo Rondônia, Roraima e Amapá. nunca conheci ninguém do Acre e APOSTO que ninguém aqui nunca foi ao Amapá.

até que ontem fiz uma amiguinha acreana, e, veja bem, foi logo a Marina Silva, candidata a ser a primeira presidenta brasileira. fofa ela.


mais uma da série "tem coisas que só o meu trabalho faz por você". quarta-feira, 11 da noite, exausta. mas ela é fofa e é sempre legal conhecer pessoas que fazem toda a diferença.




ps: esse não é um post eleitoral, até porque odeeeeeio militância do tipo muito. mas achei fofa ela. irônica. tão frágil, tão forte. ela é evangélica, contra aborto, contra casamento entre pessoas do mesmo sexo. sou contra algumas posições dela. mas não contra ela. ela é inteligente, tem boas idéias. e é fofa.

vota ni miam




Vota ni miam que eu vô tá prometendo que sua vida vai ser BEM MAIS divertida quando eu estiver podendo.

E digo mais:

- jornada de trabalho começando meio dia, e aí para pra almoçar uma horinha. E 6 horas pufcabô. Que a vida é muito curta pra passarmos tanto tempo trabalhando numa coisa que nem te acrescenta tanto assim.

- Passagem aérea pras colegatudo que móra fóra tá se juntano sempre que dê.

- Aumento do piso salarial para Produtores de TV para 2.500,00/semana. Que eu gosto de número redondo. E, veja bem: Eu falei o PISO, não o teto.

- Praias limpas. caribenhas, assim que der.

- Férias duas vezes por ano, de um mês pelo menos. Se o trabalho estiver pesado demais, talvez aumente um bocadinho.

-Ciclovia nas ruas.

-Incentivo fiscal para companhias aéreas que coloquem a passagem GIG-EUROPA por 99 reais.

- Semana de 4 dias e fim de semana de 3. Porque não faz o MENOR sentido essa divisão que fizeram.

- Fim do imposto de importação para cosméticos e bebidas alcóolicas de qualidade. Que ninguém merece o jeito que tá.

- E que as balas sejam Mirabel.

coisas que nos divertem no trabalho



saca o email que recebi hoje de madrugada, por ter saído da produtora ontem à meia noite e dez


segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Sério, eu odeio a Apple


Eu ia escrever esse post há 1 mês atrás. Colocar aqui todo o ódio que envolvia meu coração, soltar a voz, fazer e acontecer. Desisti. Todos mereciam mais uma chance. Menos a Apple. E eu não sabia.

Começou com uma relação de afeto. Simpatizava com aquela maçazinha cool que entregava ao usuário estilo e simplicidade. Comprei um iPod. Funcionou. Faz tempo.

Aí quebrou. E, numa viagem pela europa, resolvi comprar um novo. Nano, 4a geração (em caso de dúvidas, viu, Apple?). E aí foi aquilo: O meu iPod, aquele aparelho incrível que faz tanto sucesso por aí, veio com a bateria morta. Até comentei sobre isso aqui e aqui. Comprei um iPod e ele veio quebrado. Eu, no meio de uma viagem pela Europa, avaliei que era melhor não perder mais tempo em Euros com isso. Deixei pra resolver no Brasil.

Troquei o iPod. funcionou. Fiquei feliz por uns meses. Tolinha, eu.

Um dia, do nada, o iPod apagou. Eu estava ouvindo som no carro e o aparelhinho morreu. Merda.

Volto eu na assistência técnica. Oi, lembra de mim? Mais ou menos. Conversa vai, conversa vem, deixo aquela bodega lá com a promessa de passar lá pra buscar um novo em poucos dias. "Beleza", penso eu.

Pensei isso porque queria correr, e porque não sabia correr sem ouvir música. Achava chato, não tinha entusiasmo nenhum. E condicionei minha atividade física ao ato de ouvir música. Faltava pouco e eu esperei.

Uns dias depois me ligaram. Eba, pensei. Fui até lá, busquei meu iPod novo. Lacrado. Fui pra casa bem feliz. Entrei num clube de corrida.

O iPod estava quebrado.

Respirei fundo. Deus, só pode. Quer me provar algo. "Luana, você precisa exercitar sua tolerância, isso sim", pensei.

Voltei na assistência técnica. Oi, lembra de mim? óbvio. "A do iPod, né?"... Que ótimo: Virei a maluca azarada do iPod. Era tudo o que eu precisava. Expliquei tuuuuudo de novo. Pedi pra conversar com um técnico. Contei que eu não sou uma cliente chata, que eu nem queria estar lá. Que o que eu queria, mesmo, era ouvir música. E que eu achava que queria tão pouco. Eu não queria uma casa, um carro, nada. Queria correr ouvindo música. Queria que a Apple não me transformasse numa gorda sedentária. Queria aquilo pelo que paguei, sem precisar ser vista como a maluca do iPod canceroso.

"Você é engraçada", riram. "Ah, tá. Qua-qua-qua". Mas entenderam, ficaram com peninha de mim. Luana, a gozadinha. Que ótimo. Deixei lá a porra do iPod.

Hoje, 4 dias depois, busquei o iPod novo. Lacrado. Juntei várias testemunhas. Abri a caixa. Conectei. Sinquei. Reiniciei. Reestorei.

O iPod está quebrado.

::

Eu tenho um computador Mac que é super ok. Moderninho, bonitinho e até bem prático. Mão acho que a marca seja de todo mal, mas, vamos combinar: O iPod é uma MERDA.

Fico pensando no que fazer. Descobri que mais uma vez me deram um iPod quebrado e liguei imediatamente pra Solução Digital, a loja que me entregou o maldito aparelho nas mãos HOJE. E, óbvio, a solução oferecida é que eles trocam por um novo. Desliguei. Pra que, né? Não acredito mais na Apple.

Falei com 2 assistências técnicas, tentei (em vão) ligar pros Estados Unidos e resolver. Fiquei meia hora esperando o Applecare me atender aqui. Nada. Chorei. Todos os meus colegas de trabalho têm pena de mim.

Eu só queria uma trilha musical na minha vida e a Apple desperdiçou a chance de ser o motivo de tanta alegria. Agora eu só quero que o Steve Jobs e seus comparsas se fodam.

E digo mais: Eu quero também que a avó do Steve Jobs se foda. Quero que ele sofra. Quero que os filhos dele, se é que ele os tem, se fodam, um a um. Que a maldita assistência técnica exploda. Que aquela maçã apodreça e caia.

Eu só queria ouvir música e agora meu coração se encheu de ódio por essa marca. E em vez de eu levantar e correr eu vou sentar aqui e ficar falando mal da Apple, dia a dia, até esse ódio passar.

Sério, eu só queria ouvir música. Mas foram 5 iPods e eu cansei.

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

se atrase 15 minutos para o trabalho e faça a vida de uma pessoa melhor

típica cena inusitada de morar numa cidade cosmopolita.

ela entrou esbaforida no metrô, mil sacolas na mão. correu pra pegar o vagão ainda aberto. sorriu quando conseguiu. deixou as sacolas meio cairem de leve, mas ok, lá estava ela dentro do trem.

olhou em volta. pessoas comuns, cada uma com seu dia a dia. um casal de velhinhos. secretárias atrasadas pro trabalho. pessoas avulsas. e um casal de alemães.

ficou olhando aquele casal de alemães. ela acabara de voltar da germânia - grata surpresa. simpatizou com eles de cara; pela cerveja e por aquela cumplicidade silenciosa que os viajeros tem entre si. e os alemães tinham um guia na mão, que tentavam decifrar, provavelmente em vão.

- hi. you guys need help?

olhinhos azuis que brilharam. há horas girando aquele mapa, fato que a topografia não era o seu forte. abriu o sorriso.

- oh, yes, please. how can we get to THIS place?

e apontam o pico da tijuca. imediatamente ela pensou: quê que esses malucos tão fazendo no metrô pra Botafogo? e mais: pronto, mais um gringo perdido pra aumentar a estatística de violência da Cidade Maravilhosa. olhou pra eles. que se explicaram.

- we'll get off at Ipanema, walk around the Lagoon and go up from the Botanic Garden.

pronto. pirou. ok que vão andar PRACARALHO, tá chovendo, e, vamocombiná: tão malucos que vão andar de Ipanema até o PICO DA TIJUCA. certamente viram no mapa que era tudo mato e pensaram: ah, vamos, deve ser lindo. OMG. a gente tem que ensinar tudo, pensou ela.

respirou fundo e disse: ok, guys. tell me: what exactly do you want to see in the city? you'll have 5 of my minutes.

sorriram. abriram o mapa. e desandaram a falar: wewanttogotoawaterfall-wewanttogotoacoolbar-wewanttogotoflorestadatijuca-andBúzios-andIlhaGrandebutnotAbraão.

papel e caneta na mão, riscou tudo aquilo que eles pediam, e recomendou uma série de outros detalhes do tipo sósabequemmoraaqui. eles sorriam, sorriam. thank's, thank's. OHMYGODTHANKYOUSOMUCH. 15 minutos a menos do meu dia... e uma série de sorrisos que valeram tanto a pena que a fizeram perguntar-se se não deveria trabalhar ganhando por aquilo que ela com prazer faria de graça.

domingo, 1 de agosto de 2010

pra você


Ainda na série "domingo com músicas na ponta da nossa língua", fica aqui meu "Boa noite".



Amei tanto. Eu gosto tanto dele. uma pessoa pra cima, do bem. Que faz um trabalho tão bonito. Tão bom letrista - e eu, que tanto gosto de letra. Um cara que é o que é, que fez um bando de merda, errou, acertou, e tamo aí.



fim de domingo


domingo. agosto. só Saramago pra entender.


"de que adianta falar de motivos,
às vezes basta um só,
às vezes nem juntando todos..."


::


e de uma vez precisamos aceitar que o 2º semestre começou em julho, não hoje. é que a gente aprendeu desde sempre a dividir o ano em função das férias do colégio. entendeu?