sexta-feira, 6 de agosto de 2010

se atrase 15 minutos para o trabalho e faça a vida de uma pessoa melhor

típica cena inusitada de morar numa cidade cosmopolita.

ela entrou esbaforida no metrô, mil sacolas na mão. correu pra pegar o vagão ainda aberto. sorriu quando conseguiu. deixou as sacolas meio cairem de leve, mas ok, lá estava ela dentro do trem.

olhou em volta. pessoas comuns, cada uma com seu dia a dia. um casal de velhinhos. secretárias atrasadas pro trabalho. pessoas avulsas. e um casal de alemães.

ficou olhando aquele casal de alemães. ela acabara de voltar da germânia - grata surpresa. simpatizou com eles de cara; pela cerveja e por aquela cumplicidade silenciosa que os viajeros tem entre si. e os alemães tinham um guia na mão, que tentavam decifrar, provavelmente em vão.

- hi. you guys need help?

olhinhos azuis que brilharam. há horas girando aquele mapa, fato que a topografia não era o seu forte. abriu o sorriso.

- oh, yes, please. how can we get to THIS place?

e apontam o pico da tijuca. imediatamente ela pensou: quê que esses malucos tão fazendo no metrô pra Botafogo? e mais: pronto, mais um gringo perdido pra aumentar a estatística de violência da Cidade Maravilhosa. olhou pra eles. que se explicaram.

- we'll get off at Ipanema, walk around the Lagoon and go up from the Botanic Garden.

pronto. pirou. ok que vão andar PRACARALHO, tá chovendo, e, vamocombiná: tão malucos que vão andar de Ipanema até o PICO DA TIJUCA. certamente viram no mapa que era tudo mato e pensaram: ah, vamos, deve ser lindo. OMG. a gente tem que ensinar tudo, pensou ela.

respirou fundo e disse: ok, guys. tell me: what exactly do you want to see in the city? you'll have 5 of my minutes.

sorriram. abriram o mapa. e desandaram a falar: wewanttogotoawaterfall-wewanttogotoacoolbar-wewanttogotoflorestadatijuca-andBúzios-andIlhaGrandebutnotAbraão.

papel e caneta na mão, riscou tudo aquilo que eles pediam, e recomendou uma série de outros detalhes do tipo sósabequemmoraaqui. eles sorriam, sorriam. thank's, thank's. OHMYGODTHANKYOUSOMUCH. 15 minutos a menos do meu dia... e uma série de sorrisos que valeram tanto a pena que a fizeram perguntar-se se não deveria trabalhar ganhando por aquilo que ela com prazer faria de graça.

4 comentários:

Marcelinha disse...

Curti! Curti! Curti muito!!!! :)

caru andrade - sp :: sp disse...

não precisa ser alemão pra te dar esse sorriso de presente!
mas precisa ser brasileiro pra entender o tamanho da alegria que te deu fazer isso.

amiga, tenho TANTA saudade...

Tati Pastorello disse...

Era o que todos nós devíamos fazer: trabalhar com aquilo que faríamos de graça. Também estou tentando...
E nem pegou telefone dos alemães? Podiam se encontrar no weekend...
Beijos.

Birá disse...

Ahahahahah!!
Imaginei a cena toda, ou lembrei? Sei lá. Só entende a importância disso quem já viveu... Beijos e saudade das viagens.