quinta-feira, 30 de setembro de 2010

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

vivendo um momento


cara... achei esse vídeo agora e simplesmente NÃO ACREDITEI no que vi.

me fez sentir de novo tanta coisa... lembrei do início da minha adolescência, eu e Ursula, cantando e rindo. do inacreditável show no Imperator ao que fomos... e cantamos... e gritamos... e rimos tanto, mas tanto, mas tanto...

todos nós temos as nossas breguices e eu confesso que já não gosto de Roupa Nova há uns 15 anos. mas, olha... como fui feliz no "então grita!!!"

que saudade do tempo em que o pra sempre parecia que nunca ia acabar.

vai o vídeo, então, em homenagem à minha amiga querida futura mamãe.


Ursula, aumenta o som!

até o fim raiar



E, no último dia do trabalho, nada mais justo do que oscolegatudo façam NADA entre uma prestação de contas aqui e outra ali.

Então a gente ri, ouve música, fala merda, faz fotinho engraçada, decora a sala com milhões de bolas mal enchidas pro aniversário da cunhada que ainda não chegou às 11:51.

E nesse momento de falar sobre todo e qualquer assunto, a gente continua a conversa de dois dias atrás sobre os primeiros passos que daremos assim que soubermos que a gente ganhou na megasena.

Sabe? aquelas 48 hs entre descobrir e ir, com todo o cuidado, até a CAIXA receber o prêmio? Deve ser de uma agonia ensurdecedora. Sempre penso que não faria nada, nada, nada que pudesse me fazer morrer. Porque nada pode ser pior do que ganhar na megasena e MORRER logo depois. É muita sacanagem, Deus, vamos combinar.

Então eu decidi que vou ficar sentada no sofá, respirando calma e lentamente, até que chegue a hora de ir buscar meu bendito dinheiro. Não irei pra esbórnia, não pegarei elevador, nada de dar um espirro, nem pensar em atravessar a rua. Nada. é tipo ligar pros pais e ficar com eles ali, sentados, nos olhando estarrecidos. Nada. Porque ninguém mereceria a crueldade de uma morte pré-riqueza.

E aí depois é aquilo, né: roupas, champagnes cada vez mais caras e geladas, coberturas, Paris, Polinésia. Sem ostentação, só usufruindo do que a gente merece. Eu já sabia, Deus é que demorou pra perceber o touch.

E a decisão de hoje foi: ganhando na megasena, vou contratar os Los Hermanos pra cantarem numa festa minha. Casamento, aniversário, a ocasião pouco importa. Eu quero é eles ali pertinho de mim, cantando pros meus 50 a 100 amigos, num daqueles momentos em que você se dá conta de que, enfim, é verdadeiramente feliz.


::

Deus: tamo aí. fica a dica.

::

Imagem desse site aqui: http://www.marcelmelfi.com/

mmm


"you know I dreamed about you
for twenty-nine years before I saw you
You know I dreamed about you
I missed you for
for twenty-nine years"

::

veja AQUI. e que nada passe sem reflexão.

terça-feira, 28 de setembro de 2010

just a matter of time


nesses tempos em que todas as suas esperanças de redenção são concentradas em ganhar na megasena, resta saber o que faríamos com os mais de 60 milhões de reais que, fato, estão, mais cedo ou mais tarde, a me esperar.

decidi então. quando eu for milhonária, vou morar na Côte d'Azur.

já pensou?

daria tudo para ser mais uma milhonária anônima ali naquele paraíso, vendo a vida passar durante mais uma taça de champagne geladinha e um morango de verdade. consigo fechar os olhos e me sentar linda e tranquila numa espreguiçadeira, assistindo o sol se pôr; aquela despretensão do mediterrâneo batendo nas pedras, uma boa música no maldito iPod que finalmente funciona, sabendo que estou a poucas horas de tudo o que pode me interessar: as Ervas de Provence, o Norte da Itália, Paris e Barcelona.


sério, como ser infeliz tendo dinheiro na Côte d'Azur?

pensando nisso, resolvi me preparar para ser milhonária no sul da França. só falta aquela maldita combinação de 6 números escolher que eu, dentre todas as pessoas desse país, mereço mudar de vida. o passaporte está encaminhado e já comecei as aulas de francês na semana passada.

não vejo a hora de ser feliz pra sempre e, claro, não precisar nunca mais, nunca mais, nunca mais trabalhar com algo que não deixe os meus dias um pouco mais alegres.

::

é só uma questão de tempo.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

coisa mais linda

recebi essa dica do Gian, que tem esse blog AQUI, meio abandonado, mas muito legal.

gente, olha que coisa mais bonita:



::

você pinta como eu pinto?

então pinta lá em casa.


quarta-feira, 22 de setembro de 2010

muito bom


o dia a dia no purgatório da beleza e do caos. adorei.
sei de quem é a foto não.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

liberdade


- ela é tão livre que um dia será presa.
- presa por quê?
- por excesso de liberdade.
- mas essa liberdade é inocente?
- é. Até mesmo ingênua.
- então por que a prisão?
- porque a liberdade ofende.



[Clarice Lispector]

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

o cão sem plumas


Em busca de consistência. sempre.

"Espesso
como uma maçã é espessa.
Como uma maçã
é muito mais espessa
se um homem a come
do que se um homem a vê.
Como é ainda mais espessa
se a fome a come.
Como é ainda muito mais espessa
se não a pode comer
a fome que a vê".

[João Cabral de Melo Neto]

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

in advance



[sabe essa sensação?]

(un)live and let die



o fato é que não se pode desviver a emoção vivida.

você é a soma de tudo aquilo viveu, multiplicada pelas experiências e percepções de só quem viveu aquilo também, dividida pelo tempo que não passou.

e você não tem nada a perder.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

[...]





eu sou eu e minhas circunstancias*



chovia.

acordou meio tonta com o despertador tocando. tinha se prometido recomeçar a corrida. uma quarta com cara de segunda, ela pensou.

levantou meio aos tropeços, vestiu e comeu a primeira coisa que viu. desceu. chovia horrores.

"preciso ficar magra E saudável", pensou ela. vou pegar uma pneumonia, é melhor voltar pra cama. "que frustração, devia era ter ficado dormindo". sentou. pensou na brancura do teto. "se bem que não, aí seria pior, ainda teria a culpa". pensamentos que iam e vinham.

fez abdominais e um chá, não necessariamente nessa ordem. vasculhou randomicamente a internet. pegou um livro. largou. olhou o relógio. que dia escroto.

pensou numa frase de ontem: "luxo é ter tempo, espaço ou silêncio". fato. pensou um pouco nisso. no quanto era bom cuidar de suas pequenas decisões. seus pequenos combinados consigo mesma. sua luta para fazer valer a pena. e a sua eterna busca.

e a sua eterna busca.

::

essa moça tá diferente, fato. e está bem feliz, essa moça. mas bem que ela queria passar mais um diazinho enrolando no edredom, sem tempo nem hora, definitivamente sem compromisso, só pra variar.

::

terça-feira, 7 de setembro de 2010

poeminha para um dia de chuva



pelos caminhos que ando

um dia vai ser

só não sei quando


[Leminski]



::

foto roubada por aí. da Manhana, acho.

Um daqueles de tirar o ar.



http://www.youtube.com/watch?v=ACgzqtvYwTg




[Peraí que eu vou ali procurar minha bússola e já volto]

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Geléia de pérola


Daí que a gente vai futucando o youtube. sempre tão cheio de coisas novas... E vê coisas que você ama muito, mas nunca lembra de ver.

Tipo isso.




Na passagem de som, tipo um bônus, imagina só, ouvir a letra mais linda de todos os tempos. quem dera.

Conheci o Pearl Jam tarde. Ouvi falar rapidamente no som da banda quando eu ainda gostava de rock (Black, eu acho) e logo depois emendei um gosto musical duvidoso no outro... Funk (merece um post depois), dance, música baiana e finalmente o samba.

Mas confesso que o Rock nunca mais esteve na ponta da minha língua. Sei lá. Podem me matar, mas eu acho que simplesmente não gosto da combinação bateria + guitarra. Até amava o Hollywood Rock, quando ele existia. Adoro show e festival de rock. Mas não sou fã do estilo - fato. E aí fui não gostando, não ouvindo... Até que outro dia, ano passado, me dei conta de que é isso: Não gosto de rock.

Mas sem radicalismos. Gosto de alguma coisa. No caso, duas coisas: Amo Los Hermanos e gosto muito de Pearl Jam. Muito.

Há pouco tempo fui num show inesquecível do Pearl Jam no Hyde Park, em Londres. Já saímos com esse plano daqui, ingressos comprados e expectativa no coração. Diferente dos festivais que acontecem no Brasil, o Hard Rock Calling aconteceu durante o dia, com amigos deitados nas cangas, muita cerveja e pouco xixi fora do lugar. Ver um show de Eddie Vedder de dia, de perto, com Ben Harper abrindo (os dois cantaram "Under Pressure" juntos e foi genial), toda aquela euforia do outro lado do mundo... Foi um momento único.


Já tinha até ido ao show do Pearl Jam na Apoteose. Foi incrível, mas nada nunca vai se comparar com a emoção que senti por naquele lugar, naquele momento. Todo mundo feliz.

Mas em nenhuma das vezes ele cantou a música lá de cima. E isso me dói um pouco, porque sempre sinto aquele gostinho de "ah, como eu queria".


Sempre fico pensando se um dia eu vou estar esperando o show começar e ele vai entrar descompromissado, como quem não quer nada, passando o som, e cantar isso aí pra mim.

"I will squeeze the life right out of you
I will make you laugh, make you cry
and we may never forget it
as I make you call my name
as you shout it to the blue summer sky

and we may never meet again
so shed your skin lets get started
and you will throw your arms around me".


sobre o tempo

Sexta-feira. Sempre em busca das certezas que, se Deus quiser, nunca virão.


“The thing I like most about time is that it’s not real. Sure it’s a useful trick if you wanna meet someone in a specific place to have tea or coffee, but that’s all it is: A trick.

There’s no such thing as the past: it exists only in the memory.

There’s no such thing as the future: it exists only in our imagination.

If our watches were truly accurate, the only thing they would ever say is now”.


foi aqui que eu achei.


quinta-feira, 2 de setembro de 2010

e tenho dito!

Rocky, incrível. Clicando AQUI.

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

um último pensamento antes de ir embora

"nobody said it was easy. no one ever said it would be so hard".
[Coldplay]

Brooklin Bridge is falling down


que saudade das minhas amigas Clarissas.


que estão nesse exato momento passeando no Brooklin e fizeram essa foto tão tão fofa aí de cima pra mim.

que lindas minhas amigas. como las quiero.

que surpreendentes são as curvas da vida: quando menos se espera, "aquela menina ali" virou uma peça fundamental.

aproveitem NYC, amigas queridas. como queria estar aí nessas fotografias, rindo e falando muita, muita merda com vocês.

::

"New York
concrete jungle where dreams are made of
there's nothing you can't do".

::

inacreditavelmente, quando eu menos esperava, elas me ligaram pra fofocar!!!!! incrível!!!!!

fiquei muito, muito feliz!


::

resolvemos assim, então, pelo menos por enquanto. um dia a gente executa.




saudades master.