sexta-feira, 26 de novembro de 2010

da série: coisas que eu odeio em você.


os acontecimentos dos últimos tempos têm incitado em mim um sentimento nada saudável. um misto de ódio mortal, com desprezo pela ignorância, com um grande desejo de que a esperança venha e traga de volta um mundo melhor.

e aí me peguei pensando em tudo o que eu odeio no mundo. e resolvi deixar registrado, pra nunca mais esquecer, e poder cultivar bastante o ódio, esse sentimento que nos faz tão mal, mas que tanto nos move.

e eu começaria por citar uma das pessoas que eu mais odeio no mundo: O Berger.


esse aí. o Berger. um pela-saco. ô sujeitinho recalcado, esse Berger. se conheceram por acaso, pegaram um romance que super funcionava na mesa, mas não funcionava na cama. saca? difícil resolver. pareciam almas-gêmeas, mas na "hora do vamos ver" a parada não funcionava. uma pena.

até que se entenderam, e funcionou. mas o maluco foi se mostrando um cara cheio de merda, que via problemas em tudo e nunca ficava feliz com o sucesso na coleguinha Carrie Bradshaw. aí não dá, né? porque o cara pode ter vários defeitos, mas gente recalcada não tem solução.

e aí, como todo pela-saco, o Berger pediu um tempo. viajou, pensou e voltou, apaixonado e arrependido. se dizendo disposto a fazer a coisa funcionar. legal. voltaram. e a Carrie, feliz, dormiu. e, quando acordou, o Berger tinha ido embora. e terminado com ela através de um post it.

ah, não, né?

por isso que eu ODEIO o Berger com todas as minhas forças. e, desde então, não consegui ver um filme com o Ron Livingston (eu também não saberia o nome, obrigada, Google!) sem ter raiva da cara dele. e tenho dito.




Nenhum comentário: