quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Tempo, tempo, mano velho

Não sai.

Faz tempo que eu olho pra essa tela branca e não sai nada.

Todo mundo já passou por isso, penso eu. estamos sem tempo, com excesso de trabalho, e aquela mesmice da falta de assunto. Idéias temos. Mas faz tempo que não sai.

E, no mar de informações perdidas, ficou a vontade de falar sobre os mineiros que escaparam, o tropa de elite que estreiou, a Dilma que venceu. Mas não deu tempo de nada disso. Ou deu, eu que não quis. É só uma questão de reorganizar melhor aquele tempo entre o momento em que o despertador toca e a hora que você coloca o pijama, todo dia.

Outro dia ouvi uma frase ótima de um amigo que há muito não encontro, sempre apoiada na tal falta de tempo: "Todo mundo almoça e janta todo dia. basta você escolher com quem". Genial. é tudo uma questão de estabelecer prioridades, mesmo. E de repente a gente se vê na dinâmica do dorme-trabalha-come-dorme-acorda; sem tempo pra uma exposição, um show, um vinho, uma risada amiga, uma poesia. A verdade é que andamos sem tempo pra nada.

Talvez estejamos dedicando tempo demais às coisas com importância de menos. Tenhamos perdido o valor real das coisas. Eu, aquela que sempre pensa demais, que reflete demais, que sofre demais, que pondera demais. Deve ser a maldita Lua em Libra em conjunção com Plutão. O fato é que o tempo está passando cada vez mais rápido. Deve ser a tal da ressonância Schumann. Ou talvez estejamos desaprendendo tudo e devêssemos voltar pro principio.

Mas o fato mesmo é que se isso é vida, não é essa a vida que quero pra mim.

E por isso é que não sai. mas vai sair.

Um comentário:

Ciana Lago disse...

curti esse post!

e agora estou escutando a música do Pato Fu...