segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

no caminho do bem


ando me perguntando porque é tão difícil, afinal, aceitar as decisões daquele que amamos, quando essas escolhas são completamente diferentes das nossas. como dói entender que determinadas decisões não nos cabem e que tem certos processos que cada um sabe a melhor forma de atravessar, mesmo. o desafio talvez seja justamente aceitar as diferenças daqueles que amamos, e que pretensão a nossa achar que já nascemos sabendo onde é que o calo do amiguinho aperta.

a gente sempre quer o bem. a gente erra tentando acertar. mas como é difícil entender aquilo que é diferente de nós. entender a dor e a delícia de cada um. ver que a vida muitas vezes não sai como a gente planejou. mas que pode haver poesia no imprevisto, beleza no inusitado.

e que, no fundo, estamos todos em busca da mesma coisa. que só pode ser feliz.




e quem disse que seria fácil?

::

sejamos existencialistas, docemente existencialistas, afinal.

::

foto, como sempre, observando

Um comentário:

analicks disse...

Eu confesso que tenho essa dificuldade e muita...vivo pagando de dona da razão e depois fico encolhida no meu canto arrependida. É foda!