sexta-feira, 22 de julho de 2011

Mão no leme, pé no furacão

E, numa sexta-feira estranhíssima, mas feliz como todas as sextas devem ser, tomo conhecimento dessa pérola de Caetano, aquele de quem eu não sou fã, mas merece todo o meu respeito.

Especialmente depois disso:

"Ué, mas você não conhece 'Branquinha'? É a sua música".

Ouvi umas 3x e me encantei. Faz total sentido, é bem esse o momento. Um brinde àqueles que vivem com a mão no leme e o pé no furacão assim como nós e àqueles que, definitivamente, nos conhecem mais do que nós mesmos.

"Eu sou apenas um velho baiano
Um fulano, um caetano, um mano qualquer
Vou contra a via, canto contra a melodia
Nado contra a maré
Que é que tu vê, que é que tu quer,
Tu que é tão rainha?
Branquinha
Carioca de luz própria, luz
Só minha
Quando todos os seus rosas nus
Todinha
Carnação da canção que compus
Quem conduz
Vem, seduz
Este mulato franzino, menino
Destino de nunca ser homem, não
Este macaco complexo
Este sexo equívoco
Este mico-leão
Namorando a lua e repetindo:
A lua é minha
Branquinha
Pororoquinha, guerreiro é
Rainha
De janeiro, do Rio, do onde é
Sozinha
Mão no leme, pé no furacão
Meu irmão
Neste mundo vão
Mão no leme, pé no carnaval
Meu igual
Neste mundo mau"

::

Ouça, porque vale.






Nenhum comentário: