domingo, 10 de julho de 2011

Postcards from Italy


E as nossas vidas nunca mais foram as mesmas depois daquelas revoadas de pássaros que nos pegavam de surpresa no outono europeu. Cada vez mais eu me dou conta de que algumas coisas são tão singelas que precisamos mesmo ter muita simplicidade na alma pra conseguirmos perceber. E não dá pra explicar. Os momentos mais bonitos das nossas vidas são assim: sem explicação.

E que disso sejamos feitos, afinal: Plano e contra-plano de momentos bonitos.




Que saudade que me deu.

::


"Tomara que a gente não desista de ser quem é por nada nem ninguém deste mundo. Que a gente reconheça o poder do outro sem esquecer do nosso. Que as mentiras alheias não confundam as nossas verdades, mesmo que as mentiras e as verdades sejam impermanentes. Que friagem nenhuma seja capaz de encabular o nosso calor mais bonito. Que, mesmo quando estivermos doendo, não percamos de vista nem de sonho a ideia da alegria. Tomara que apesar dos apesares todos, a gente continue tendo valentia suficiente para não abrir mão de se sentir feliz."

Um comentário:

Michelle Chevrand disse...

Simples assim. Disse tudo.
Posso sentir exatamente a mesma coisa...