domingo, 14 de agosto de 2011

Enquanto é tempo.


... e eu nunca vou conseguir te explicar a pessoa em que me transformei quando você abriu os olhos ontem e sorriu pra mim. O que senti ao ouvir aquela voz que saiu doída: "Oi, Lulu". Não adianta: eu nunca vou conseguir te explicar.

Você milagrosamente acordou e quem nasceu de novo fui eu, e ainda com a chance de fazer tudo de novo, de consertar tudo, de me tornar uma pessoa bem melhor. De ver que ainda dá tempo.

Obrigada, obrigada, obrigada.

2 comentários:

cristina daza disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
caru andrade - sp :: sp disse...

porra, luana! chorei de novo! feliz bagarái... <3