terça-feira, 16 de agosto de 2011

Make it worth


Acordou cedo naquela manhã de sol. O calor tinha voltado - para o bem e para o mal. Bebeu lentamente aquele café incrível e se perguntou como era mesmo a vida antes do Google, do celular e do café expresso. Percebeu que estava bem cansada da sua relação com os dois primeiros.

Resolveu colocar Adele pra acordar aquele dia. Bendita hora em que resolvi mudar essa trilha sonora, pensou ela. She and Him tocaria em seguida, adequado, aliás, depois de tanta Amy rolando por ali.

E percebeu que deixara passar tempo demais até que percebesse: Estava feliz. A tormenta havia sido cruel e ela ainda sentia na alma os sinais de cansaço a cada tentativa de retomar o ar. De repente ela se deu conta de que finalmente, passada toda aquela angústia, respirava fundo e podia sentir seu coraçãozinho pronto pra descansar e bater em paz. De novo.

E então ela se deu conta de que não adiantava nada tatuar certas coisas no braço se aquela vontade de mandar o cinismo embora não viesse de dentro pra fora. Viver era cada vez urgente, ela havia entendido. Por mais cruel que tenha sido aquela rasteira, ela havia compreendido que determinadas coisas são fundamentais pra aprendermos a colocar a vida em perspectiva. E decidiu que até na queda ela aprenderia a perceber o lado bom.

Era preciso ser feliz enquanto é tempo. E então ela foi.


::

Em tempo:

Eu tenho bons motivos pra me resguardar
Estou tão certa de você
Mais fácil me perder do que te achar

O meu desejo sempre foi contracenar
Um longo filme de amor
Mas não vou legendar o seu olhar
Focado em mim direto assim

[taquipariu, Tiê]


Nenhum comentário: