quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Tiquetaque

Era quinta-feira e fazia aquele sol tímido e bonito de final de inverno. Acordei, olhei praquele céu azul e sorri. Mas senti falta de você aqui.

Porque eu sempre preferi a beleza pouco óbvia de onde a gente menos espera: O tímido calor do inverno, aquele primeiro beijo roubado, o café da manhã na cama, as cartas de amor (sempre elas) escondidas no bolso encardido da tua mochila, o samba raiz no botequim vagabundo.

A vida e essa minha teimosia em fugir dos comerciais de margarina. Talvez por saber que a Delícia está muito mais para o nervosismo antes do primeiro beijo do que para o cheiro do Bom Ar no canto da sala. Eu nunca quis ser perfeita, apesar dessa sua mania de me achar linda e cismar em não prestar atenção quando eu falo que sou de carne, osso, sonhos e de um passado tão pesado que acho que tudo o que eu precisava agora era daquela sua massagem nas minhas costas.

E se você ainda estivesse aqui eu te faria aquele carinho demorado e leve que você tanto gostava e me arrepiava inteira. Teria passado muito mais tempo velando seu sono e sorrindo ao perceber cada uma dessas pintinhas que só chegando bem perto pra eu contar. Justo agora que eu voltei a sorrir você foi embora levando meu relógio, meu beijo, meu ar e todos os meus pensamentos.

Que direito tinha você de aparecer assim, justo agora que eu estava até gostando de ter aquele olhar meio triste e distante, me achando a mais charmosa e melancólica das pessoas pela mala suerte que não era pra ter sido minha? Quem disse que podia aparecer metendo o pé na porta dizendo que esperou tanto tempo por isso, mas que vai ter que ir embora e que eu te espere, você volta só pra fazer meu brilho voltar de vez e você jura que me faz a mulher mais feliz do mundo daqui a pouco.




Eu estava quieta na minha tristeza e você apareceu com seu sorriso vagabundo e determinado a me fazer ser leve. Me deixa ser pessimista em paz ou volta aqui e me belisca pra eu ver que essa felicidade que eu sinto é mesmo de verdade.

Nenhum comentário: