terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

You make me smile with my heart


De repente ela percebeu que estava feliz. Olhou no relógio, suspirou e sorriu ao se dar conta de que era terça-feira, que fazia um dia bonito e que mais 4 luas haviam se passado desde que ela havia submergido pra puxar aquele último ar antes de mergulhar de novo. Mais um mês no meio de todos aqueles em que ela tinha resolvido acreditar outra vez.



Já estava tão acostumada a vestir aquela máscara triste que sentiu uma ponta de medo no meio daquele amor: Talvez nunca tivesse acreditado tanto. Como essa felicidade havia sido anunciada e que perigoso isso de conseguir tudo aquilo o que sempre quis. Chegava a dar vontade de que fosse mentira: Ao menos assim ela não perderia a razão, pensou.

Era tão simples e era tão bom. Lembrou da frase da Clarice. Não, que nem ela nem ninguém se engane, só se consegue a felicidade através de muito trabalho, mesmo. Talvez o amor fosse preciso ser bem difícil pra ser bonito. Não sei. Ela nunca se encaixaria num comercial de margarina, mas eram tão bonitas as canções, eram bonitas. Mesmo e justamente por terem tido que errar tanto antes de aprender a fazer o outro feliz. Desapegar da forma e valorizar o conteúdo: Só assim, então, ela seria feliz, bem feliz.

.muito.

Ah, se ela soubesse antes. Teria errado tão menos. E com certeza não estaria tão bom.





Bendito 433.

Um comentário:

nocaminhodonorte disse...

Tô curtindo zuuuper esses novos ventos. Chegando a suspirar aqui do outro lado, rsrsrs.