terça-feira, 12 de novembro de 2013

Era pra ser


Era uma vez um Reino Encantado. E, como todo Reino, era uma vez as fadas, os arco-íris coloridos, o som da arpa e as declarações de amor.

Era uma vez uma Donzela Linda e um Cavalheiro Errante. Cada um no seu quadrado, como uma dessas fábulas pós modernas que, por um piscar de olhos, a Lola chega no minuto errado e não consegue parar de correr até o fim da história de amor.

Só que era uma vez eu. Que, com alma de Cupido, percebi que a Donzela era destinada ao Cavalheiro. Que pra ele não haveria brilho maior do que o sorriso dela. Era tão claro. E foi tão fácil. Tudo o que eu fiz foi perceber. Mas em tempos e reinos modernos em que as princesas não tem mais tempo pra adormecer e os príncipes não dão mais bola pro cavalo branco, perceber é coisa rara. E, então, como amiga, fiz. Dei um peteleco no destino - e nada mais do que isso - e desde esse dia os olhos do Cavaleiro e da Donzela caminham de mãos dadas num jardim florido.

Não foi nada fácil, como não era pra ser. Como toda história de amor, dragões, bruxas, precipícios e eles mesmos se puseram em seu caminho. Mas o Destino é perspicaz e algumas vezes a felicidade é pra ser. E, sentindo isso, eles foram valentes. Eles foram juntos.

E hoje eu me emociono ao te olhar. Porque finalmente o que faltava chegou. Um brinde a esse amor tão lindo. Tão era pra ser. Que assim seja. Bendita seja. Bem-vinda seja.



Antônia. O melhor projeto do meu melhor projeto.

Nenhum comentário: