segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Obrigada


E mais um ano se passou. Sou só eu ou existe essa impressão de que estamos sendo atropelados pelas horas?

2013. O primeiro ano depois que o mundo ia acabar.

O pânico geral foi porque ninguém sabia o que fazer. Demos por certo que ninguém mais abriria os olhos depois daquele 21 de dezembro de 2012 e, já que o mundo não acabou, ninguém mais sabia o que deveria vestir.

Pois eu, pra variar contrariando todo mundo, acho que 2013 foi um ano lindo. Em 2013 eu amei, chorei, sorri, emagreci, engordei, malhei, parei, questionei, me reinventei, comecei o melhor trabalho da minha vida e me transformei na melhor mulher, tia, filha, irmã e amiga que eu podia ser em 2013. E o mais importante, pra mim, foi abrir os olhos praquilo que me era mais caro e sagrado: A história que se desenha e todo esse amor por termos chegado aqui aqui.

Que em 2014 tenhamos a coragem de nos aproximarmos cada vez mais daqueles que amamos para, assim, continuarmos a honrar o nosso caminho.



Por isso, e por tudo isso, obrigada.

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Ai de ti, Clarice.


Pobre de ti, que não sabe soma(tiza)r nada. 


Graças a deus minhas tristezas tanto me machucam a alma.

.



Ai de Clarice Lispector se fizesse análise. Porque o desespero é fundamental pra minha poesia sair confusa.