quarta-feira, 6 de abril de 2016

O mundo precisa de REIKI


Ficamos alguns dias sem postar porque estamos realmente passando por processos de mudança de vida. E, para isso, o virtual não cabe.

Mas vamos lá, porque também é bom despertar e plantar uma sementinha, nem que de açaí (que acho bem pequena) nesse mundo tão desacreditado e sem escrúpulos dos dias de hoje.
Não sei se realmente vivo numa bolha, se estou conhecendo pessoas diferentes, se meus amigos são os melhores do mundo, se todas as alternativas estão corretas, ou se realmente o planeta está mudando, o Brasil está mudando e vejo uma luzinha no fim do túnel.
Sabemos que, em todos os momentos históricos mundiais, depois do grande apogeu e ápice das civilizações, sempre veio o declínio. Lembro bem dessa aula de história, e da corcunda do camelo - ou seria dromedário? - que chegava ao topo... e caía bruscamente tempos depois. Os anos passam, a linha do gráfico fica estável, e depois de um tempo os homens acordam, tomam um Nescau e começam a crescer de novo. Lembram das cidades arruinadas na Alemanha? Estão todas lá, lindonas, como a segunda maior economia do mundo, segurando com unhas e dentes a Europa e o EURO 4 por 1.
Houvi/li também sobre o momento do nosso país, em que somos jovens na história (já que os índios não contam), ainda naquela euforia adolescente, em que os hormônios a mil se multiplicam e atrapalham sensações e sentimentos que afloram e morrem rapidamente.
Será que conseguimos sobreviver ao caos, sendo tão jovens? Acho que nessa idade, ou cortamos os pulsos ou construímos uma força tamanha que saímos do buraco a escalada, desbravando o lado escuro da força, de pés descalços e feridas ainda não cicatrizadas.
Como eu acredito na força do amor e que meus amigos são f. pra caralho, acho que sobreviveremos. Pelo menos os que devem sobreviver. Deixe que os leões se devorem, que rodem a baiana em pleno planalto. A ditadura já existe, não precisamos de golpe pra saber disso.
Mas não é sobre isso que quero escrever.
Ontem ouvi um grande amigo falar sobre amor: o máximo a você chamar de AMOR é conhecer de fato aquela pessoa. Quando você diz: eu te conheço, é porque entendeu lá no fundo o significado do amor. E nesse mesmo dia ouvi de uma amiga querida à milhas: Conheço até o formato da tua unha. Poderia te desenhar agora, cada dobra do seu corpo. Acho que ela me ama.
Assim como sei de seu cabelo, de sua unha, de como pisa e como engasga com os olhos que lacrimejam e a boca que suavemente morde os lábios.

Escrevo tudo isso pra falar de reiki, ou tentar falar. Porque REI significa "divino" e KI que significa "energia vital". E que conheci esse tal de "reiki" um dia quando caminhava na minha arborizada rua de um Porto um pouco mais Alegre. E aquelas senhoras empostavam as mãos perto do corpo de outras desconhecidas que eram convidadas a sentar-se em cadeiras colocadas no meio da calçada. Eles ficavam ali por alguns minutos. As pessoas saíam felizes e ainda ganhavam uma plantinha em um vasinho.
O que era aquilo que acontecia ali, na minha rua, tão perto e tão longe de mim?
Mas saía alegre/satisfeita ao ver a imagem, e a lembro com um sorriso do canto da face. 
E os anos passaram, e minha casinha continua lá protegida e bem cuidada pela minha irmã e sua energia boa.
E cá estou eu no Rio de Janeiro quando essa força, sem eu mesmo saber muito bem por quê, me chama. E diz para eu estender as mãos e curar. Curar os amigos, os desconhecidos, ou mais próximos, os "a distância", os do outro lado do oceano. Eu imagino uma luz dourada, e faço os símbolos que aprendi, peço proteção, rezo, lembro da face, da unha, do corpo e protejo todos aqueles que necessitam deste cuidado.
E penso que o MUNDO precisa deste amor, de conhecer ao próximo. De saber de fato como as pessoas andam, além do bom dia, tão simples, e mesmo ignorado pela maioria nas filas, caixas de supermercado, elevador.
Quero saber como você está, se precisa de algo. Talvez um abraço?
Li esses dias sobre uma profissão, acho que na China, que se ganha muito bem para abraçar os ursos. Sim, os animais também precisam de carinho no momento do abandono. 
Assim como crianças, que, em orfanatos americanos, e mesmo no Brasil, pedem ajuda para pessoas que tem tempo e um abraço de doação. Cuidar do outro, carinho, afago: é apenas disso que o mundo precisa.
Ser pego no colo, ganhar um pouco de atenção e receber AMOR.
O que ando aprendendo no REIKI é que a energia do mundo, esse DEUS maior, existe na forma que você quiser imaginar e acreditar. E que apenas somos canalizadores dessa energia; para que venha a terra com força e ilumine os seres com a maior frequência que os cientistas possam medir. Sim, porque precisa ser comprovado em laboratório, para que todos acreditem.
Mas enquanto isso, vamos levantar as mãos, abraçar por mais de 10 segundos (experiências científicas comprovam que pessoas que são abraçadas por mais tempo, vivem mais felizes e morrem depois dos 100).
Sim, o mundo tem cura, e não é um papo de quem quer mudar o mundo, é um papo de quem já está mudando.
E começa aqui dentro. Um abraço? 

por Beca Furtado

Nenhum comentário: