segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Esvaziando a mala


Talvez o maior erro que você possa cometer ao se mudar pra um lugar completamente diferente daquele onde você cresceu seja a quantidade enorme de expectativas que vamos acumulando com o passar dos anos.


Manter a bagagem cada vez mais leve, como me disse uma amiga minha. Como eu pude me esquecer disso?




Toda expectativa gera frustração, acho que li isso naquele livro que eu esqueci no canto do quarto onde eu já nem moro mais. E a verdade é que os primeiros dias em um país cuja língua você não fala bem podem ser bastante desafiadores. A burocracia que te enlouquece, o frio que te corta a alma... E o relógio que não para de girar. Pequenas demandas vão se acumulando pelas paredes e quando você se dá conta a vida virou uma avalanche de problemas que você não consegue resolver. É o banco que não te deixa abrir conta sem comprovante de residência. É apartamento que não quer ser alugado se você não tiver conta no banco. Você não consegue respirar e de repente começa a sonhar com Férias de tudo isso.

Peraí. 
Férias? Das Férias? 
Pára tudo. É hora de respirar. 

Hora de dar uma volta pelas ruas da (segunda) cidade mais bonita do mundo e lembrar o que foi que eu vim fazer aqui. De voltar os olhos pra beleza arquitetônica, de sentar leve pra tomar um café. De curtir o falar baixo, de flanar por Paris sem pressa e degustar a vida como quem come o amor aos bocados. Hora de abrir um bom vinho, comer um bom queijo e rir da vida enquanto observa o ritmo lento do casal de velhinhos que atravessa a rua. 


É hora de agradecer, respirar e seguir. 




Venceremos. Vincerò.





(a pele fica uma merda, mas o cabelo, pra variar, fica espetacular...)

Um comentário:

Unknown disse...

Vai dar tudo certo ;). Paris é assim, blasé na chegada mesmo<3

vou te mandar um email. beijos com saudade

A.